História resumida da Sega

A Sega é uma das empresas mais icônicas da história dos videogames. Fundada em 1940 no Japão, a empresa começou como uma distribuidora de máquinas de fliperama e outros jogos eletrônicos. Desde então, a Sega evoluiu para se tornar uma das maiores empresas de videogames do mundo. Neste artigo, exploramos a história resumida da Sega, desde seu primeiro console até o último, e como a empresa se adaptou para sobreviver apenas com jogos nos dias atuais.

Os primeiros anos da Sega

Em 1951, a empresa mudou seu nome para “Sega”, uma abreviação de “Service Games”. A empresa começou a desenvolver suas próprias máquinas de fliperama no final dos anos 50, com jogos como “Periscope” e “Missile”. Nos anos 60, a empresa começou a expandir sua presença global, abrindo filiais em vários países, incluindo os Estados Unidos.

A entrada no mercado de consoles

A Sega entrou no mercado de consoles de videogame em 1983, com o lançamento do SG-1000. No entanto, o console não foi um grande sucesso e foi ofuscado pelo lançamento do Nintendo Entertainment System (NES) da Nintendo. A Sega não desistiu, no entanto, e lançou consoles subsequentes, incluindo o Sega Mark III, Sega Master System, Sega Genesis (conhecido como Mega Drive fora dos Estados Unidos) e o Game Gear, que foram um sucesso de vendas.

Os anos 90 e o Sonic

A década de 1990 foi uma época de grande sucesso para a Sega, principalmente graças ao lançamento do Sonic the Hedgehog em 1991. O personagem se tornou um ícone da cultura pop e ajudou a apoiar as vendas do Sega Genesis. A Sega também lançou o Sega CD, o Sega 32X e o Sega Saturn, embora esses consoles não tenham sido tão bem-sucedidos quanto o Sega Genesis.

A última tentativa de console

Em 1998, a Sega lançou seu último console, o Dreamcast. O console foi muito bem recebido pela crítica e tinha vários recursos inovadores, como um modem embutido para jogos online. No entanto, o Dreamcast foi ofuscado pelo lançamento do PlayStation 2 da Sony e acabou sendo descontinuado em 2001.

Sobrevivendo com jogos

Após o fracasso do Dreamcast, a Sega abandonou a produção de consoles e passou a se concentrar exclusivamente na produção de jogos. A empresa lançou vários jogos bem-sucedidos, incluindo títulos como Yakuza e Persona. A empresa também começou a licenciar seus personagens para outros desenvolvedores, como a Nintendo, para uso em jogos como Super Smash Bros. Ultimate.

Contudo nos dias atuais, a Sega continua a produzir jogos e licenciar seus personagens para outros desenvolvedores. Enfim a empresa também lançou várias coleções de jogos clássicos para consoles modernos, como o Sega Genesis Mini. Embora a Sega não seja mais uma grande fabricante de consoles, sua influência na história dos videogames continua forte e sua presença no mundo dos jogos permanece relevante. Essa foi a história resumida da Sega.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.